img:Bitcoin
Bitcoin - BTC
€ 0.924059982365 0.06%
img:Ethereum
Ethereum - ETH
€ 1,19 0.05%
img:Chiliz
Chiliz - CHZ
€ 155,39 1.63%
img:XRP
XRP - XRP
€ 63.170,39 -0.29%
img:Shiba Inu
Shiba Inu - SHIB
€ 3.590,51 -0.48%
img:USD Coin
USD Coin - USDC
€ 0.13658022 10.77%
img:Cardano
Cardano - ADA
€ 0.488508379595 -0.03%
img:ApeCoin
ApeCoin - APE
€ 2,31 -2.62%
img:Solana
Solana - SOL
€ 0.424576833 0.03%
img:MANA (Decentraland)
MANA (Decentraland) - MANA
€ 0.417714059 0.66%
img:Bitcoin
Bitcoin - BTC
€ 0.924059982365 0.06%
img:Ethereum
Ethereum - ETH
€ 1,19 0.05%
img:Chiliz
Chiliz - CHZ
€ 155,39 1.63%
img:XRP
XRP - XRP
€ 63.170,39 -0.29%
img:Shiba Inu
Shiba Inu - SHIB
€ 3.590,51 -0.48%
img:USD Coin
USD Coin - USDC
€ 0.13658022 10.77%
img:Cardano
Cardano - ADA
€ 0.488508379595 -0.03%
img:ApeCoin
ApeCoin - APE
€ 2,31 -2.62%
img:Solana
Solana - SOL
€ 0.424576833 0.03%
img:MANA (Decentraland)
MANA (Decentraland) - MANA
€ 0.417714059 0.66%
Luís Gomes
Luís Gomes
a- A+

Nos últimos anos, o uso de criptomoedas como forma de pagamento tem ganho interesse e popularidade em todo o mundo, incluindo Portugal. Mas quais são as vantagens e desafios em adotar as criptomoedas como forma de pagamento?

As criptomoedas, como o Bitcoin, o Ethereum e a Ripple, oferecem várias vantagens. Primeiro, oferecem maior segurança em relação às transações financeiras tradicionais. Além disso, as criptomoedas permitem transações rápidas e anónimas, eliminando a necessidade de intermediários, como é o caso dos bancos.

No entanto, também existem desafios relevantes ao adotar as criptomoedas em Portugal. Um dos principais desafios é a incerteza jurídica em relação às criptomoedas. Isso pode levar a incertezas legais e a dificultar a adoção em larga escala.

Outro desafio é a volatilidade das criptomoedas. O valor destas moedas pode variar expressivamente, tornando difícil a sua aceitação como forma de pagamento estável.

Figura 1

Neste artigo, vamos explorar em detalhe as vantagens e desafios de adotar criptomoedas como forma de pagamento; analisar como os consumidores e as empresas podem tirar benefícios destas moedas digitais; e ainda abordar as considerações legais e de segurança envolvidas.

Introdução às criptomoedas

À medida que o mundo se torna cada vez mais digital, as criptomoedas têm surgido como uma nova forma de pagamento que tem vindo a ganhar bastante interesse e popularidade. Em Portugal, a adoção das criptomoedas, como o Bitcoin, tem vindo a aumentar. Estas moedas digitais oferecem vantagens únicas e apresentam desafios que devem ser considerados antes de uma adoção generalizada.

Maior segurança e privacidade

Uma das vantagens de utilizar as criptomoedas como forma de pagamento em Portugal é a maior segurança e privacidade que proporcionam. As transações financeiras tradicionais implicam muitas vezes a partilha de informação pessoal e sensível, deixando os indivíduos vulneráveis ao roubo de identidade e à fraude. As criptomoedas, por outro lado, utilizam técnicas de encriptação para garantir a segurança das transações e proteger o anonimato do utilizador. Esta camada adicional de segurança torna as criptomoedas uma opção atrativa para quem se preocupa com a sua privacidade e segurança financeira.

Custos de transação mais baixos

Outra vantagem das criptomoedas é a possibilidade de reduzir os custos de transação. Os métodos de pagamento tradicionais, como os cartões de crédito e as transferências bancárias, geralmente envolvem taxas e encargos elevados. As criptomoedas, por outro lado, podem facilitar as transações entre endereços, sem a necessidade de intermediários como os bancos ou os processadores de pagamentos. Isto elimina as taxas associadas e pode resultar em poupanças de custos significativas, especialmente para empresas que processam um grande volume de transações.

Figura 2

Acessibilidade global e pagamentos sem fronteiras

As criptomoedas oferecem a vantagem da acessibilidade global e dos pagamentos sem fronteiras. Os métodos de pagamento tradicionais têm frequentemente restrições geográficas e podem ser complicados para transações internacionais. Por exemplo, os bancos utilizam a rede SWIFT que envolve, na maioria das vezes, vários intermediários. Por outro lado, estes intermediários podem impedir um pagamento por alguma razão (penhora, sanções, instruções superiores…).

As criptomoedas, no entanto, podem ser usadas por qualquer pessoa com uma ligação à Internet, independentemente da sua localização. Este facto abre novas oportunidades para as empresas em Portugal expandirem a sua base de clientes e chegarem a clientes de todo o mundo. Além disso, as criptomoedas podem facilitar as transações transfronteiriças, sem a necessidade de conversões de moeda ou de lidar com taxas de câmbio, tornando mais fácil e mais eficiente para as empresas o comércio internacional.

Potencial para aumentar a fidelidade e a participação do cliente

Ao aceitarem as criptomoedas como forma de pagamento, as empresas em Portugal podem aceder a uma comunidade crescente de entusiastas das criptomoedas. Estes indivíduos são frequentemente os primeiros a adotar novas tecnologias e são mais propensos a apoiar as empresas que se alinham com os seus valores e interesses.

A aceitação de criptomoedas pode criar um sentimento de lealdade entre estes clientes e atrair novos clientes que estejam interessados em utilizar os seus ativos digitais para compras. Além disso, as criptomoedas podem constituir uma oportunidade para as empresas se envolverem com os seus clientes através de programas de fidelização e sistemas de recompensa, oferecendo incentivos para a utilização de criptomoedas e promovendo a participação dos clientes.

Considerações legais e regulamentares

Um dos principais desafios da adoção das criptomoedas em Portugal é a falta de regulamentação clara e abrangente. Aparentemente, a nova diretiva europeia MICA vem tentar solucionar esta incerteza. Por outro lado, as leis de curso legal beneficiam exclusivamente as moedas fiduciárias, como o Euro ou o Dólar norte-americano, obrigando qualquer comerciante a aceitá-las como meio de pagamento.

As criptomoedas operam de forma descentralizada, fora do controlo das instituições financeiras tradicionais e dos governos. Este facto coloca incertezas jurídicas e desafios tanto para as empresas como para os consumidores. Sem uma regulamentação adequada, pode ser difícil determinar o estatuto jurídico das criptomoedas, incluindo as suas implicações fiscais e de proteção dos consumidores. Além disso, a ausência de quadros regulamentares pode criar um ambiente vulnerável a fraudes e actividades ilegais.

Volatilidade e flutuações de preços

Outro desafio significativo das criptomoedas é a sua volatilidade inerente. O valor das criptomoedas pode flutuar drasticamente num curto período, o que pode torná-las pouco fiáveis como forma de pagamento estável.

As empresas que aceitam criptomoedas podem enfrentar desafios na fixação exata dos preços dos seus produtos ou serviços, uma vez que o valor das criptomoedas que recebem pode mudar rapidamente. Esta volatilidade pode também dissuadir os consumidores de utilizarem as criptomoedas nas transações diárias, uma vez que podem não ter a certeza do poder de compra dos seus ativos digitais.

A solução para este problema veio com o aparecimento das StableCoins. Na verdade, criptomoedas indexadas às principais moedas fiduciárias como o Dólar norte-americano (USD) e o Euro, eliminando por completo a volatilidade associada às mais conhecidas criptomoedas. As mais conhecidas são o USDC (da empresa Circle) e a USDT (da empresa Tether), ambas indexadas ao USD a 1:1.

Figura 3

Falta de aceitação generalizada e de infraestruturas

Embora a adoção de criptomoedas esteja a crescer em Portugal, ainda falta uma aceitação generalizada e infraestruturas que suportem a sua utilização como forma de pagamento. Muitas empresas ainda não adotaram as criptomoedas devido a preocupações com a sua volatilidade, implicações legais e falta de familiaridade com a tecnologia.

Por outro lado, é necessário desenvolver soluções de pagamento fáceis de utilizar e infraestruturas que possam integrar facilmente as criptomoedas nos sistemas de pagamento existentes. Para ultrapassar este desafio, são necessárias campanhas de educação e sensibilização para familiarizar as empresas e os consumidores com as criptomoedas, bem como o desenvolvimento de soluções de pagamento convenientes e seguras que facilitem o processo de adoção.

Neste sentido, todos os meses, a Mercado Bitcoin Portugal realiza vários cursos sobre criptomoedas, abordando várias temáticas, entre elas a utilização de StableCoins como meio de pagamento. 

Conclusão

Embora as criptomoedas sejam muito superiores às tradicionais moedas fiduciárias, nomeadamente o anonimato das transações, a sua utilização independente, sem a intervenção de terceiros, e os baixos custos, ainda têm uma utilização diminuta como meio de pagamento.

A incerteza jurídica, as leis de curso legal que beneficiam as moedas fiduciárias, a rejeição pelos bancos tradicionais, iliteracia e a volatilidade têm impedido que as criptomoedas, apesar da sua superioridade como dinheiro, sejam hoje usadas de forma generalizada pela população como meios de pagamento.

Apesar da questão da volatilidade ter sido resolvida com o advento das StableCoins, ainda existe um grande desconhecimento acerca das criptomoedas. Pela parte da Mercado Bitcoin Portugal, tudo faremos para que as criptomoedas sejam adotadas por todos os portugueses.

Destaques Autor
img:Luís Gomes

Luís Gomes